Política Paranaense

Postado dia 06/01/2015 às 05:55:08

PT teria recebido R$ 20 milhões de propina da Petrobras no Paraná

Empreiteiros confessam ter pagado R$ 20 milhões de propina ao PT por contratos na PetrobrasSegundo reportagem da Revista Época, que expõe o conteúdo da delação premiada de Augusto Mendonça e Júlio Camargo, diretores da empreiteira Toyo, mostra que foi revelado à Polícia Federal, em detalhes, como eram realizados os pagamentos de propina ao caixa do PT – no Brasil e em contas secretas – e ao ex-diretor de Serviços da estatal Renato Duque, indicado ao cargo pelo partido. É a primeira vez que empreiteiros admitem ter pago propina ao partido.

De acordo com Época, os pagamentos ao PT no exterior foram feitos, segundo o executivo Augusto Ribeiro de Mendonça, da Toyo Setal, em uma conta chamada “Marinelo”, indicada pelo diretor Renato Duque. Em um contrato de R$ 2,8 bilhões firmado com a Petrobras para obras na Repar (Refinaria Presidente Getúlio Vargas), no Paraná, Augusto afirmou que seu colega Júlio Camargo pagou R$ 20 milhões para a “Marinelo”.

Os valores em dinheiro eram entregues pelo próprio Augusto em um escritório em São Paulo a um emissário de Duque, que ele identifica apenas como “Tigrão – um homem “moreno, 1,70 a 1,80, meio gordinho, idade aproximada de 40 anos”. Os pagamentos no exterior foram feitos em uma única conta. “As doações oficiais (ao PT) foram feitas entre os anos de 2008 a 2011”, disse Augusto. Só em um contrato obtido na reforma da Refinaria do Paraná (Repar), a propina paga pela Setal chegou a R$ 60 milhões. Neste caso, para justificar a saída do dinheiro sujo, a Setal fez contratos simulados de prestação de serviços de aluguéis de equipamentos e terraplenagem com as empresas de fachada “Legend, Soterra, Power, SM Terraplenagem e Rockstar”.

Há mais de cinco anos o senador Alvaro Dias vem cobrando das autoridades a apuração de denúncias de desvio de dinheiro público nas obras de ampliação da refinaria Presidente Getúlio Vargas. Segundo o senador, o esquema foi semelhante ao que teria ocorrido na refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. Alvaro Dias apresentou requerimento, em 2009, na Procuradoria-Geral da República (PGR) pedido a apuração das denúncias de superfaturamento nas obras da refinaria construída no Paraná. De acordo com a representação do senador Alvaro Dias, relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) aponta que houve superfaturamento de R$ 800 milhões no Paraná, mas o valor pode chegar a R$ 1,3 bilhão, nos cálculos do Judiciário.

Leia mais no site da revista Época.


comente esta matéria »

Copyright © 2010 - 2017 | Revelia Eventos - Cornélio Procópio - PR
Desenvolvimento AbusarWeb.com.br