Geral

Postado dia 26/11/2021 às 21:57:25

Pedágio no Paraná: povo é roubado, e ainda aplaude

Talvez eu tenha que recorrer a Sócrates, Platão ou ao rei Salomão, para tentar compreender como alguém pode ser enganado, roubado, durante 25 anos e ainda aplaudir a seu algoz. Acreditam que, dessa vez, com a nova concessão de pedágio no Paraná, serão roubados menos.

Defendo que o governo estadual deveria constituir empresa pública para exploração das atuais e futuras praças de pedágios, conforme previstas em novo modelo de concessão proposto pela União.

Dessa forma, ter-se-ia uma cobrança de valores mais justos, e ainda o excesso de arrecadação seria revertido aos cofres do Estado.

Mas o povo vive iludido. Propaganda oficial prega que novo modelo trará bilhões em investimentos. Ora, dinheiro movimentado por tal setor representa nada mais que tarifas a ser pagas pelos usuários paranaenses.

Dinheiro público implantou a malha rodoviária no Estado durante longas décadas. Porém, em 1998, o então governador Jaime Lerner decidira entregar à iniciativa privada no âmbito do programa Anel de Integração.

Investigação da Operação Lava Jato aponta que esquemas de corrupção envolvendo agentes públicos e concessionárias de pedágio vem pelo menos desde 1999. Pagamento de propinas a diferentes governos e políticos livrou concessionárias de fazer obras prometidas em contrato e possibilitou aumento do valor de tarifas. E já se sabe - é claro - quem acabou pagando a conta.

O assalto à população é responsabilidade de governo Jaimer Lerner (1995/2003), Roberto Requião (2003/2010), Beto Richa (2011/2018) e Ratinho Júnior (2019/2022), e, principalmente, deputados da base de sustentação a tais governos.

O ápice da ironia e demagogia vem do fato que, às vésperas da celebração de novos contratos, integrantes da Assembleia Legislativa resolvem realizar audiências públicas regionais para ouvir a população.

Vale a pena perguntar: "nobre deputado, onde esteve nesses 30 anos, enquanto a corrupção corria solta no pedágio, que havia cobrança de taxa-extra embutida na tarifa paga pelos usuários, que concessionárias arrecadaram indevidamente R$ 10 bilhões a mais? O que fez Vossa Senhoria para mudar tal situação?"

Enquanto isso, o povo aplaude o encerramento de contratos, e cancelas abertas a partir desse domingo, 28 de novembro. Sabem que a alegria há de durar pouco - pelo menos até depois da eleição do próximo ano.


comente esta matéria »

Copyright © 2010 - 2022 | Revelia Eventos - Cornélio Procópio - PR
Desenvolvimento AbusarWeb.com.br