Policia

Postado dia 06/01/2015 às 05:55:08

Laudo contradiz versão que motorista teria atirado em policiais

 

Laudo contradiz versão da PM que motorista teria atirado em policiais
Veículo que deveria ter sido preservado foi recolhido e vistoriado por policiais militares

Exame residuográfico revela que motorista não teria atirado contra viatura durante abordagem e perseguição com tiros no centro da cidade 

O exame residuográfico realizado pelo Instituto Médico Legal (IML) em um motorista suspeito de ter atirado contra uma viatura da Polícia Militar durante uma abordagem, em Santo Antônio da Platina, deu negativo. A perícia não encontrou nenhum vestígio de pólvora nas mãos do acusado, o que em tese, derruba a versão apresentada pelos policiais para justificarem a perseguição pelas ruas da cidade com vários disparos de arma de fogo que assustou os moradores na noite de 31 julho.

Durante a perseguição, por pouco a motorista de um Citroen C4 que estava estacionado no centro da cidade, onde a mulher deixava uma amiga em sua casa, não foi atingida por uma dos disparos. 
 

Na versão da PM, a equipe teria sido recebida a tiros pelo motorista de um Fiat Tipo, de cor prata, durante uma abordagem, na Vila Ribeiro, que após atirar contra a viatura teria fugido em alta velocidade pelas ruas da cidade colocando a própria vida e a de terceiro em risco. Já no centro da cidade, os policiais teriam atirado contra o veículo do suspeito na tentativa de contê-lo, após o motorista atingir uma caçamba estacionária e atirar novamente, desta vez atingido o vidro traseiro de um veículo que estava estacionado, onde estavam dois ocupantes.
 

Já na versão do suspeito, que foi preso horas mais tarde pela PM quando já dormia em sua casa, os policiais chegaram atirando contra o veículo sem qualquer justificativa. Com medo de ter sido confundido com algum bandido e morrer no local, o suspeito fugiu, mas foi seguido incessantemente pelos policiais que continuaram atirando contra o seu veículo. Segundo o suspeito, o tiro que atingiu o veículo que estava estacionado na rua Wenceslau Braz teria partido da arma de um dos policiais, pois conforme garantiu, ele que estava desarmado, o que foi comprovado pelo IML.

Dias após o corrido, peritos do Instituto de Criminalística (IC) de Londrina estiveram na 38ª Delegacia Regional de Polícia, onde encontraram indícios de manipulação na cena do crime. Segundo constataram, o Citroen C4 não foi preservado como deveria para a perícia, conforme comprovado através de imagens registradas pela imprensa em que mostram policiais dentro do veículo procurando pelo projétil.

Ainda segundo a perícia, o tiro que atingiu o parabrisas da viatura da PM partiu de dentro para fora, ou seja, da arma de um dos policiais, e os fragmentos dos projeteis encontrados no carro do suspeito estavam totalmente deformados, o que comprometeu a conclusão da perícia.

O laudo com a conclusão do exame realizado pelo Instituto Médico Legal (IML) foi encaminhado à 38ª Delegacia Regional de Polícia, que deve remeter o resultado ainda esta semana à Corregedoria da Polícia Militar e concluir o Inquérito Policial dentro do mesmo prazo, que será enviado ao Ministério Público.

Comando da PM 

A reportagem tentou falar com o comandante da 4ª Companhia da Polícia Militar, tenente Carlos Eduardo Neves dos Santos, para comentar o resultado da perícia, mas ele não foi localizado na sede da Companhia, nem no 2º Batalhão, em Jacarezinho. O celular do oficial também estava desligado ou fora da área de serviço. 

do Tá No Site

 


comente esta matéria »

Copyright © 2010 - 2016 | Revelia Eventos - Cornélio Procópio - PR
Desenvolvimento AbusarWeb.com.br