Notícias

Postado dia 06/01/2015 às 05:55:08

Cadeirante se arrasta por escada para embarcar em avião em Foz

A executiva preferiu não ser levada no colo e classificou a situação como 'humilhante'

Cadeirante se arrasta por escada para embarcar em avião em Foz
Katya não aceitou ser levada no colo devido aos machucados que poderia ter

Uma cadeirante portadora de uma doença rara chamada de osteogenese imperfeita, conhecida como "síndrome dos ossos de cristal", precisou se arrastar para embarcar em um avião na madrugada da última segunda-feira (1º) em Foz do Iguaçu, no Paraná.

Katya Hemelrijk da Silva, de 38 anos, é executiva de uma empresa de cosméticos, mãe de dois filhos e estava voltando de um fim de semana de passeio com a família no Paraná.

Para embarcar, Katya, que tem os ossos muito frágeis devido à doença, precisava de um equipamento especial para entrar no avião com segurança, mas a ferramenta não estava disponível e só chegaria em 4 horas, tempo que a executiva não poderia esperar.

Em entrevista à Folha de S.Paulo, Katya declarou que os funcionários da Gol, empresa que faz o trecho comprado por ela, se ofereceram para carregá-la no colo, mas ela não aceitou. "É uma humilhação e há risco de me machucar com gravidade, de quebrar uma perna por me pegarem de forma errada. Como não havia condições dignas para que eu embarcasse, subi por conta própria. Fui me arrastando, de bumbum", disse.

Quando os aeroportos não possuem pontes de embarque com ladeiras, o acesso de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida é feito em cadeiras especiais que escalam os degraus ou em um 'ambulifit' (equipamento que se assemelha a um elevador).

da Folha de S.Paulo


comente esta matéria »

Copyright © 2010 - 2016 | Revelia Eventos - Cornélio Procópio - PR
Desenvolvimento AbusarWeb.com.br