Policia

Postado dia 06/01/2015 às 05:55:08

Prefeitura abre sindicância para apurar morte de criança de 3 anos

Familiares acusam Hospital Municipal de Foz do Iguaçu de negligência.
Segundo mãe, garota foi diagnosticada com suspeita de catapora e dengue.

Franciele JohnDo G1 PR

A mãe da menina registrou em fotos a piora no quadro de saúde da filha; bolhas de catapora que estavam cicatrizando voltaram a inflamar (Foto: Diana dos Santos / Arquivo pessoal)Mãe registrou em fotos a piora na saúde da menina
(Foto: Diana dos Santos / Arquivo pessoal)

A Prefeitura de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, abriu uma sindicância para investigar possíveis irregularidades no atendimento de saúde prestado a uma criança de três anos de idade Unidade de Pronto Atendimento (UPA) João Samek. A menina morreu no domingo (7), na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Municipal e os pais acusam o hospital de negligência. De acordo com o município, a abertura do procedimento foi publicada em Diário Oficial na terça-feira (9), e os trabalhos estão em andamento.

Segundo a família, a criança foi levada para a UPA na sexta-feira (5). Ainda no mesmo dia ela foi transferida para o hospital e internada na pediatria com diagnóstico de catapora e de suspeita de dengue, conforme a mãe. No sábado (6), ela foi levada para a UTI. Os familiares afirmam que a criança ficou 15 horas atendimento de um médico no hospital. Eles registraram um boletim de ocorrência na 15ª Subdivisão Policial e um inquérito já foi instaurado.

A comissão de sindicância é composta por servidores municipais. “Pedi para agilizar ao máximo os trabalho para finalizar ainda em dezembro, mas vai depender do comparecimento de testemunhas e de documentos. A princípio é acabar antes do recesso de fim de ano”, afirmou o procurador geral do município, Willy Costa Dolinski.

Ainda conforme Dolinski, será apurado se houve algum procedimento equivocado na UPA, já com relação ao hospital, cabe a Fundação Municipal de Saúde investigar. “Depois que vierem as informações vamos tomar pé, e se for apurada que houve falha vamos encaminhar aos órgãos competentes externos, como policias ou Ministério Público (MP). E, mesmo que não haja vamos prestar contar aos órgãos externos e a sociedade iguaçuense”, conclui Dolinski.

O secretário Municipal da Saúde de Foz do Iguaçu Charlles Bortolo, informou na segunda-feira (8) que o caso será apurado com rigor e urgência. O laudo do Instituto Médico-Legal (IML) deve ficar pronto em 30 dias.


comente esta matéria »

Copyright © 2010 - 2016 | Revelia Eventos - Cornélio Procópio - PR
Desenvolvimento AbusarWeb.com.br